O Caminhante Caminhando seu Caminho


Ao Leitor/Caminhante
o Texto abaixo é de autoria de Janine Milward ₢2004. 
Se você quiser copiar ou encaminhar,
 faça sempre na íntegra e sempre mencionando sua autoria e seus direitos reservados. 
Obrigada e Namaskar, eu saúdo você com minha mente e com meu coração.




O Caminhante caminhando seu Caminho

 Janine Milward

O Caminho é o Tao. O Caminho é o Vazio

O Vazio significa a Absoluta Ausência do Tudo, do Tudo e mais ainda, do próprio Nada. Podemos entender o Vazio como a nomeação mais próxima do Tao – que ainda se encontra para além, muito além, de qualquer nomeação – ou mesmo do Vazio...

Não podendo ser referenciado de nenhuma forma, do Tao parte o princípio criador e formador de todas as coisas. Esse princípio, primordialmente, ainda é a não-vida, a não-existência, a não-forma, a não-realidade - que dá berço à vida, à existência, à forma, à realidade. Esse é o Mundo da Não-Manifestação onde o Tudo, o Todo e o Nada - o céu e a terra - são gestados ainda dentro do Ventre do Tao.

O Mundo da Não-Manifestação é um estado puro de onde se origina a Criação advinda do Mundo da Manifestação.

Assim, tudo na Criação parece advir do Vazio em seu primeiro momento e logo depois, tornar-se Luz e Não-Luz. A partir do Vazio, Luz e Não-Luz nos trazem a Vida. Vida nos remonta à Criação que remonta ao Criador que remonta ao todo, tudo, ao nada... ao Vazio... ao Tao.

O Vazio é manifestado através da Luz e Não-Luz que materializam a Mente Suprema, a Suprema Consciência, através da Mente Cósmica, – que ao criar o Cosmos e a Criação neles reflete a Suprema Consciência (que por sua vez tem berço no Tao).

Tudo é mente, manifestada através de Luz e Não-Luz advindos do Vazio.

           Enquanto apenas Vazio, estamos falando do Mundo da Não-Manifestação. Enquanto Luz e Não-Luz, estamos falando do Mundo da Manifestação. A Mente Cósmica realiza a ponte entre os dois mundos, imajando a Pura Mente dentro da Luz e da Não-Luz, o Sublime Yang e o Sublime Yin.

Ao entrarmos na encarnação, apenas trazemos conosco a nossa mente coletivizada – por fazermos parte da coletividade da Criação. A Terra, é uma Estação de Trabalho e de Iluminação e, sendo assim, a principal razão pela qual aqui encarnamos é o fato de que este lugar no cosmos permite a plenitude da materialização, do exercício do trabalho e da iluminação da consciência, e dessa forma, nos trazendo a oportunidade de transmutarmos nossa mente coletiva, através do Trabalho, em mente unitária, através da Iluminação - a expansão infinita e iluminada de nossa consciência.

Ao alcançarmos a mente unitária estaremos nos fusionando com a Mente Cósmica: esse é o Caminho da Iluminação. Ainda dentro de nossa encarnação no Planeta Terra, estaremos tendo a oportunidade de não somente alcançarmos a mente iluminada e infinita como também, através da criação da vida em Luz em nosso próprio corpo físico, realizarmos a Alquimia do Caldeirão, nosso Corpo de Luz que nos coloca no Caminho da Liberação ou Imortalidade, com vida iluminada e infinita.

Certamente, a Meditação é uma das mais poderosas ferramentas para a compreensão e prática espiritual dos conceitos sobre o Vazio, a Mente, a Luz e a Não-Luz, Mundo da Não-Manifestação e Mundo da Manifestação... e estará presente em vários Capítulos, nos elucidando sobre sua prática e suas verdades dentro do caminho do trabalho espiritual. O Livro Terceiro, Mente e Vazio, disserta profundamente sobre os passos nas iniciações espirituais e no caminho da meditação.

A conscientização plena da mente pressupõe o aprofundamento da compreensão acerca de nossas ações de vida e suas reações em potencial, Karmas e Samskaras, o auto-conhecimento e o exercício do Dharma, nossa essencial maneira de ser, bem como o correto discernimento, Viveka, das questões da vida como um todo, nossa consciência esclarecida, e sua correspondência através do livre-arbítrio.

O Conhecimento é algo de absoluta importância para a expansão apropriada da mente em Consciência – embora tenhamos que bem discernir acerca de conhecimento, mente, intelecto, consciência.... No entanto, ao final de tudo, ao final de cada ciclo sob o Céu, resta-nos apenas a Devoção à Suprema Consciência, ao Princípio Inicial, ao Tao... O Conhecimento nos traz a Luz e a Não-Luz plenamente fusionadas e corretamente vivenciadas através da Ação, porém é a Devoção que nos devolve ao verdadeiro Vazio...

Ao longo dos Seis Livros de O Caminhante Caminhando o Caminho, falamos sobre todos esses conceitos porém através da visão, da perspectiva a partir da fusão entre os ensinamentos do Tao e do Tantra primordiais.

Tao é o Caminho – é o Absoluto Vazio, é ainda aquilo que está além da própria Criação, da própria Mente Cósmica, além de qualquer possibilidade de ser descrito em palavras ou mesmo de ser apreendido sem que nossa mente esteja plenamente expandida e infinitizada para tanto, ou seja, iluminada.

Tantra significa nos liberar das ataduras da ignorância, nos proporcionando uma compreensão plena das verdades da vida e de nosso Caminho rumo ao Tao. Também Tantra significa a força e a coragem que devemos ter para vivenciarmos nossa vida dentro dos Caminhos da Iluminação e da Liberação ou Imortalidade.

Lao Tsé, o Mestre do Tao, nos revelou toda sua sabedoria em seus 81 poemas contidos em seu Livro do Caminho e da Virtude, o Tao Te Ching. Sendo Tao o Caminho, o Te é compreendido como a Virtude - toda nossa ação e prática de vida no sentido de bem nos orientarmos em nosso Trabalho e em nossa Iluminação.

Srii Srii Anandamurti, o Mestre do Tantra, nos revelou toda sua sabedoria através de seus ensinamentos sobre o Caminho da Bem-Aventurança, sobre como devemos nos liberar da ignorância que nos ata em toda nossa ação e prática de vida no sentido de bem nos orientarmos em nosso Trabalho e em nossa Iluminação.

Possivelmente, o Tantra surgido na antiga Índia seja ainda mais antigo do que o Tao surgido na antiga China. Pessoalmente, eu sinto e apreendo os ensinamentos do Tao bastante voltados para nossa base estrutural do pensamento e da iluminação da mente (e da ação no trabalho, certamente, por que não?). E sinto os ensinamentos do Tantra mais voltados para nossa base estrutural da ação no trabalho (e da iluminação da mente, certamente, por que não?).

A proposta destes seis livros contidos nesta obra – O Caminho Caminhando O Caminhante Caminhando O Caminho...  e O Retorno é o Movimento do Caminho – é de nos conscientizarmos mais e mais e a cada momento de nossa vida, em relação a tudo aquilo que é apenas efêmero, transitório, passageiro, em constante mutação, e a tudo aquilo que é eterno, imutável e de nos fazer olhar para o princípio, para o durante, e para o fim de tudo na natureza do céu e da terra, com o mesmo olhar... porque tudo, em verdade, faz parte de um ciclo... até a própria criação da Criação... , e orientar nossas ações e nossos passos voltados para a iluminação e infinitude de nossa consciência.

Essa iluminação e infinitização da consciência vai nos direcionar à compreensão de que também nós somos assim como aconteceu, acontece e acontecerá em nosso universo, ou seja, este nasceu de uma semente – o Vazio – que, contendo em si mesma a eternidade da Vida (que por sua vez é o espelho da Mente Cósmica que realiza a Criação), explode essa Vida em Luz e Não-Luz, a Grande Explosão, o Big Bang, e toda a Vida contida nesta semente primordial vai se transmutando em Vida após Vida – e hoje somos a realidade incontestável desta mutação de Vida – até que um dia.... a Luz e Não-Luz terminam – porém não a Vida (que por sua vez é o espelho da Mente Cósmica que realiza a Criação). E novamente acontece o Vazio, contenedor de Vida dentro da semente primordial que dará Luz e Não-Luz a um novo universo..... Assim também somos nós.

Sempre tudo está em mutação – o Eterno Retorno. A única não-mutação é a própria eterna mutação – dentro da interioridade e da exterioridade do Mundo da Manifestação criado a partir da Mente Cósmica que, por sua vez, advém da Suprema Consciência, da Mente Suprema, do Tao do Mundo da Não-Manifestação – esse sim, absolutamente imutável e interiorizado.

Dessa forma, Espírito e Alma, o Sublime Yang e o Sublime Yin, a Luz e a Não-Luz, habitam nossa mente desde sempre, através dos ciclos da natureza, da vida, da existência sob o céu aos quais vamos vivenciando... Ao longo das milhares e milhares mutações em encarnações dentro dos vários ‘estágios’ da Criação, o homem é aquele que, através da expansão gradual e ilimitada de sua mente, se conscientiza de que pode se tornar co-autor da Criação – a partir do momento em que consegue iluminar e infinitizar sua mente, fusionando-a à Mente Cósmica. É a mente transmutada em Luz e Não-Luz, o Yang e o Yin Sublimes e estruturais do Mundo da Manifestação.

Com a mente transmutada em Luz e em Não-Luz, o Tai Chi, o Homem Sagrado parte então para materializar esta Consciência Iluminada e Infinita em corpo físico iluminado e infinito, ou seja, Vida Iluminada e Infinita. Esse corpo físico torna-se o Corpo de Luz, já pronto para também criar a Criação, ou seja, transmutar-se como corpo materializado e iluminado – uma estrela - dentro da eterna mutação da Vida do universo, de universo em universo, de Criação em Criação, plenamente fusionado à Suprema Consciência advinda do Mundo da Não-Manifestação.

Nesse momento, o Homem Sagrado escolhe, a partir de seu Dharma, sua forma essencial de ser, seu caminho: pode tornar-se uma estrela, pode sustentar com sua Luz intrínseca um Sol com seus Planetas, pode dar vida a uma galáxia, a um universo, a um novo universo... Ou o Homem Sagrado pode resolver-se por retornar à Roda da Vida da encarnação em um planeta assim como a Terra – estação de Trabalho e de Iluminação -, tornando-se um ser de compaixão, um Bodhisattva, um verdadeiro Mestres Iluminado (sempre exercendo a Humildade), trazendo sua Vida e sua Consciência infinitas e iluminadas a serem doadas a todos os outros seres que ainda se encontrem em seus caminhos de evolução espiritual, até o último deles...

Esses são o Caminho da Iluminação e o Caminho da Liberação ou Imortalidade – temas estruturais dessas páginas contidas nos Cinco Livros que perpassam através do Caminho caminhando o Caminhante caminhando o Caminho. E, finalmente, no Sexto Livro que espelha as palavras de Lao Tsé, o Mestre do Caminho: O Retorno é o Movimento do Caminho.

Com um abraço estrelado,
Janine Milward


Ao Leitor/Caminhante:
 o Texto acima é de autoria de Janine Milward ₢2004. Se você quiser copiar ou encaminhar,
 faça sempre na íntegra e sempre mencionando sua autoria e seus direitos reservados. 
Obrigada e Namaskar, eu saúdo você com minha mente e com meu coração.